Governo do Estado de São PauloIPEM-SP

Você está em : Home Notícias de 2018 IPEM-SP apreende mais de 190 mil isqueiros na Galeria Pagé

IPEM-SP apreende mais de 190 mil isqueiros na Galeria Pagé

Imprimir E-mail
Ter, 26 de Junho de 2018 19:09

opchama1

Imagens em alta resolução no Flickr

https://tinyurl.com/ybjxjgms

 

Equipes de fiscalização do IPEM-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado que tem como finalidade proteger o consumidor, apreenderam mais de 190 mil isqueiros falsificados durante a “Operação Chama” realizada nesta terça-feira, 26 de junho, com apoio da Polícia Militar, na Galeria Pagé, no centro de São Paulo, e mais uma loja ao redor da Galeria.

 

Ao todo quatro empresas foram autuadas por comercializarem isqueiros contrabandeados e por não portarem o selo holográfico do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

 

Clique aqui e confira a tabela com as irregularidades.

 

“A operação teve a finalidade de recolher do comércio isqueiros descartáveis ou recarregáveis a gás, fabricados em polímero, (resina plástica). Vale lembrar que todo isqueiro produzido no país ou importado deve ser registrado no Inmetro. O processo de certificação é a Declaração da Conformidade do Fornecedor que consiste em apresentação de controles de produção e resultados de ensaios desde sua produção. Por se tratar de um produto que pode oferecer risco a segurança dos consumidores estamos alertas para que o consumidor não adquira esse tipo de produto. O gás normalmente utilizado no isqueiro, principalmente os de origem duvidosa, são uma mistura de butano e propano. A mesma mistura do gás de cozinha, só que com um agravante, para o gás utilizado no isqueiro não é adicionada essência que dá a característica do cheiro do gás de cozinha para eventual verificação de vazamento. O gás na sua condição normal é inodoro. Lembrando também que o fator de expansão do gás é de 270 vezes do seu volume líquido para o seu volume gasoso. A grosso modo podemos dizer que uma quantidade cerca de 10 mil isqueiros pode encher somente de gás uma piscina semiolímpica, sendo um gás altamente inflamável que compromete a segurança de quem o utiliza”, explicou o superintendente adjunto, Arlindo Afonso Alves.

 

Segundo o diretor do departamento de metrologia e qualidade do IPEM-SP, Oswaldo Alves Ferreira Junior, “comprar isqueiro ‘pirata’ economiza alguns centavos, mas coloca a vida do consumidor em risco. Isqueiro é algo sério e os não certificados pelo Inmetro usam material inadequado, podendo romper em uma queda; travar o acionamento de modo a não apagar automaticamente; apresentar vazamentos etc. Em alguns casos, aproximá-lo do fogão ou até do calor do porta-luvas ou do painel do carro num dia quente pode fazer o isqueiro explodir. As chamas podem chegar a 1,5 metros do isqueiro para todos os lados, numa bola de fogo. Somente para se imaginar; a quantidade hoje de apreensões, que foi da ordem de 196.073 isqueiros, é equivalente ao gás de 60 botijões de gás de cozinha de 13kg. Imagine o risco de um vazamento com início de fogo em apenas um deles? É algo extremamente perigoso”.

 

O selo do Inmetro nos isqueiros deve conter, entre outras marcações ocultas e de segurança, a sigla RTB (que significa regulamentação técnica brasileira); a expressão "Declaração do Fornecedor" e a palavra "Segurança", sendo uma garantia para o consumidor na hora de adquirir o produto. O isqueiro é um artigo inflamável e, quando fabricado com matéria-prima inadequada ou de baixa qualidade, pode causar queimaduras, contato com gás impróprio e explosões durante o manuseio. Além disso, o selo em isqueiros tem como objetivo dificultar a entrada de produtos inseguros no País.

 

A primeira portaria do Inmetro que instituiu a certificação compulsória foi a de nº 093 de 2002 e atualmente a portaria em vigor é a nº 562 de 2016. Toda produção de isqueiros deve seguir norma internacional, oficialmente reconhecida no Brasil, a NRB ISO 9994:2006 da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.

 

Nos casos de autuação, os fabricantes e estabelecimentos com produtos irregulares terão o prazo de 10 dias úteis para apresentar defesa junto ao IPEM-SP. De acordo com a lei federal 9.933/99, as multas podem variar entre R$ 100 e R$ 1,5 milhão

 

Orientação para o consumo

 

O IPEM-SP disponibiliza para download o Guia Prático de Consumo, que traz dicas ao consumidor sobre o que observar na hora da compra de produtos embalados, têxteis, eletrodomésticos, itens que devem trazer o selo do Inmetro e também a utilização de balanças disponíveis em supermercados, padarias, açougues e outros tipos de comércio. Para o download do guia acesse http://goo.gl/jYpCEk, aproveite e conheça outras publicações do IPEM-SP no link: http://goo.gl/Waw0P1.

 

IPEM-SP

 

O IPEM-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo e órgão delegado do Inmetro. Com uma equipe de fiscalização formada por especialistas e técnicos, realiza, em todo o Estado de São Paulo, operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, preservativos, cadeiras de carros para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros materiais. É seu papel também garantir que o consumidor leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou. Quem desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria, pelo telefone 0800 013 05 22, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: ouvidoria@ipem.sp.gov.br.

 
Secretaria da Justiça e Cidadania

Site desenvolvido pela Assessoria de Comunicação e pelo Departamento de Tecnologia da Informação do Ipem-SP
© 2013 - Todos os direitos reservados