Medidores de pressão arterial precisam de cuidados para preservar sua eficiência, diz especialista do IPEM-SP

Imprimir
Sex, 21 de Novembro de 2014 13:02

esfigmomanometro

Manutenção periódica garante que o aparelho não passe informações incorretas para pacientes e profissionais da saúde

 

 

O esfigmomanômetro, mais conhecido como medidor de pressão arterial, ou apenas como aparelho de pressão, é um dos instrumentos que fazem parte das inspeções diárias realizadas pelo IPEM-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo).

 

Utilizado tanto por profissionais da área da saúde, seja em hospitais, prontos-socorros ou em clínicas médicas, quanto de forma doméstica, o instrumento precisa receber cuidados que possam garantir o seu funcionamento e não comprometer a saúde do usuário do aparelho com informações incorretas.

 

Para aumentar ou garantir que o esfigmomanômetro tenha uma vida útil de acordo com o seu objetivo, o IPEM-SP disponibiliza algumas dicas e orientações que podem contribuir para a sua utilização. Vale destacar que as dicas podem ser utilizadas para os aparelhos aneróides (mecânicos) ou digitais.

 

Dicas e orientações sobre o esfigmomanômetro:

 

 

- Verifique se o aparelho possui o selo do Inmetro, indicando que ele foi aprovado e que pode ser utilizado. Dependendo do modelo, a marca de verificação poderá ser colocada na embalagem do instrumento;

 

- Para a utilização do aparelho de pressão arterial é recomendável que uma pessoa treinada manuseie o instrumento. Sem o devido treinamento, além do risco de medições incorretas, o aparelho também poderá ser danificado;

 

- Não deixe de ler o manual de instruções do equipamento, que informará a melhor forma de conservação do aparelho e as indicações de uso, como conferência de punho, idade (adulto ou infantil) e até de limpeza;

 

- No caso de aparelhos digitais, verifique as instruções do manual sobre o posicionamento correto no punho do seu usuário;

 

- Não acione o aparelho de pressão digital sem a devida fixação do mesmo. O acionamento incorreto poderá prejudicar o seu funcionamento. Também confira as pilhas dos medidores digitais, pilhas fracas podem interferir nos resultados;

 

- Em esfigmomanômetros mecânicos é importante que o equipamento não seja inflado acima de 300mmHg. Após o uso, desinfle completamente o aparelho antes de guardar;

 

- Não deixe a parte emborrachada do aparelho de pressão, como mangueira e pera, expostos a radiação solar;

 

- Observe ao inflar o aparelho se o manômetro (relógio) parte do zero ou da área limite de tolerância do zero. Se o ponteiro não partir de zero significa que o mesmo está irregular;

 

- Caso constate qualquer irregularidade ou defeito no aparelho será possível levá-lo em uma oficina autorizada pelo Inmetro. Para localizar uma oficina mais próxima de sua residência basta acessar o site: http://servicos.rbmlq.gov.br/.

 

Para calibrar o esfigmomanômetro, o proprietário do instrumento deve procurar uma oficina credenciada e depois agendar a verificação do aparelho em uma das regionais do IPEM-SP. A taxa do serviço de verificação, conforme a legislação, varia de vai de R$ 4,02 a R$ 47,11, de acordo com o local e quantidade de verificações.

 

Em casos de dúvida ou constatação de irregularidades, entre em contato com o serviço de Ouvidoria do IPEM-SP, pelo telefone 0800-013-0522, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: ouvidoria@ipem.sp.gov.br.

 

 

IPEM-SP


O IPEM-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo e órgão delegado do Inmetro. Com uma equipe de fiscalização formada por especialistas e técnicos, realiza, em todo o Estado de São Paulo, operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, preservativos, cadeiras de carros para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros materiais. É seu papel também garantir que o consumidor leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou. Quem desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria, pelo telefone 0800-013-0522, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para:
ouvidoria@ipem.sp.gov.br.