Governo do Estado de São PauloIPEM-SP

Você está em : Home Notícias de 2008 Certificação de cachaça reúne produtores de municípios da média sorocabana, em Santa Cruz do Rio Pardo

Certificação de cachaça reúne produtores de municípios da média sorocabana, em Santa Cruz do Rio Pardo

Imprimir E-mail
Seg, 23 de Junho de 2008 00:00


Atendendo a uma solicitação da Prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo, cujo prefeito preside a UMMES – União dos Municípios da Média Sorocabana, o Instituto de Pesos e Medidas de São Paulo, autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania e seu Organismo Certificador de Produtos acreditado pelo  Inmetro, realizou seminário para esclarecer aos produtores interessados em saber das vantagens e importância da certificação de produtos: no caso a cachaça.

O superintendente do Ipem-SP, Antonio Lourenço Pancieri e o coordenador do Ocipem, engenheiro José Fábio de Campos estiveram em Santa Cruz do Rio Pardo, na última sexta-feira, 20 de junho, para explicar aos produtores de cachaça da cidade e da região a importância da certificação do produto, como forma de agregar valor aos produtos e alcançar novos mercados, tanto no âmbito interno como no contexto internacional.


Aproveitaram também para explicar às autoridades presentes que o Ipem-SP também irá realizar a certificação dos silos de armazenamento de grãos, uma atividade bastante forte em diversas regiões do Estado de São Paulo, conforme estipulado pelo Inmetro. O Prefeito de Santa Cruz do Rio Pardo, Adilson Donizete Mira, deu as boas vindas aos participantes do evento e informou a todos que estava feliz por sua administração ter recebido o prêmio de administração amiga das crianças em virtude dos programas desenvolvidos.


Certificação


A certificação é uma das etapas de um trabalho que é muito mais amplo e que deve ser precedida por providências junto a outras esferas de governo, como o registro da propriedade e produção no Ministério da Agricultura, passando por providências de melhorias em todos os aspectos relacionados à produção da cachaça. Entre elas estão os cuidados com o plantio da cana, aplicação de defensivos agrícolas adequados, proteção ao solo e recursos hídricos, respeito às leis trabalhistas, o que significa não empregar mão de obra infantil e escrava, além de cumprir as legislações fiscais e tributárias do País.


Nesse ponto, produtores presentes ao evento na sede da União dos Municípios da Média Sorocabana foram unânimes em constatar as dificuldades que encontram para vencer todas essas etapas, começando principalmente pela alta carga de impostos que recai sobre a produção de cachaça: a carga tributária sobre o produto é de mais de 60%.


Nesse aspecto fica demonstrado que a certificação sozinha não resolve todos os problemas relacionados à produção. Nos debates aspectos como a criação de cooperativas de produtores para fortalecer a produção regional e a criação de um núcleo de disseminação de conhecimentos, com a participação de especialistas e professores das universidades e seus centros de pesquisa, foram levantados como importantes para o desenvolvimento de projetos que auxiliem e fomentem a produção da alta sorocabana.


A exposição feita pelo engenheiro José Fábio de Campos do Ocipem abordou os aspectos relevantes considerados nos processos de auditoria da propriedade e produção, bem como, da comercialização da cachaça certificada que não pode ser vendida a granel. Os vasilhames recebem selos numerados com a marca do Inmetro e do Ocipem, conferindo confiabilidade ao produto.


A certificação de produtos é uma forma de enfrentar a resistência que mercados internacionais, especialmente o europeu, têm em relação aos produtos brasileiros. Com a certificação fica demonstrado que aquele produto atende às legislações internacionais, para os quais não basta dizer "o meu produto é bom". A certificação é uma forma de evidenciar que os requisitos sobre a qualidade do produto estão respeitados. E nesse contexto, a confiança é uma expressão muito importante.


O processo de certificação do processo produtivo da cachaça abrange desde a produção da cana, cuidados com o solo, colheita, moagem, fermentação, destilação, armazenamento, envasamento, segurança sanitária do ambiente de produção, responsabilidade social em relação à mão de obra empregada.


Além disso, são realizados exames e ensaios de laboratório para examinar aspectos da composição da cachaça propriamente, visando identificar o atendimento dos teores máximos permitidos pela legislação internacional para aqueles elementos que podem resultar em comprometimento da saúde pública.


O fato dos produtos certificados receberem selos numerados confere ao produto confiabilidade. Para o produtor, resulta em conhecimentos e informações que permitem alcançar estabilidade à produção que passa a ser controlada e previsível. Para o consumidor fica evidenciado que o produto cumpre as normas legais e pode ser considerado confiável.

 

Acompanhe o Ipem-SP nas redes sociais: Twitter, Flickr e Facebook

 

Dúvidas, sugestões ou reclamações sobre diversos assuntos do Ipem-SP podem ser feitas pelo telefone da Ouvidoria: 0800-0130522, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou via e-mail: ouvidoria@ipem.sp.gov.br


CORONAVÍRUS
(COVID-19)

INFORMAÇÕES AOS SERVIDORES. Acesse aqui.


 

Secretaria da Justiça e Cidadania

Site desenvolvido pela Assessoria de Comunicação e pelo Departamento de Tecnologia da Informação do Ipem-SP
© 2013 - Todos os direitos reservados..